Archive for Novembro 2014

Postado por : Alessandra Regina 26 novembro 2014
Título: Um Herói Para Ela
Autora: Lu Piras
Páginas: 334
Editora: Novo Conceito
Resenha por: Alessandra
Meus queridos, façam suas malas, porque nós vamos para HOLLYWOOD!!!!

“UM HERÓI PARA ELA” é o quarto livro da querida LU PIRAS, e o primeiro pelo selo NOVAS PÁGINAS da Editora NOVO CONCEITO. Um romance delicioso que vai levar você para as telas do cinema da sua imaginação.

BIANCA decidiu seguir os passos do Pai, formou-se advogada. Hoje, ela trabalha em um escritório que administra leilões que ela detesta, tem um chefe insuportável, arrogante e atrevido que ela, também, detesta, mas, apesar de tudo, Bianca pretende continuar no cargo até conseguir a vaga de advogada Júnior, o que ela acredita ser um bom objetivo profissional.

Mas não é só a vida profissional de Bianca que anda completamente às avessas, a emocional segue os mesmos passos. Um namorado mais distante de suas expectativas e compatibilidades que o outro, e ainda assim, namoro após namoro, ela se vê insistindo em erros que lhe são evidentes.

Mas graças a iniciativa de seus pais, Helena e Ronaldo, Bianca se vê prestes a realizar seu grande sonho e seguir sua verdadeira vocação: A de roteirista de cinema.

Com um “application” enviado as escondidas por seus pais, Bianca teve um de seus roteiros aprovados para participar de um dos cursos da famosa New York Film Academy. Pediu um afastamento do escritório de advocacia e partiu para os Estados Unidos.

Quase sem acreditar na oportunidade que finalmente lhe acontecia, Bianca embarca para Nova York decidida a passar os próximos dois meses totalmente focadas nos estudos e na produção do roteiro que deve entregar na conclusão do curso.

Agora pense em algo que passou bemmmmmm longe de acontecer! Pensou? EXATO, as decisões de Bianca citadas no parágrafo acima.

Chegando em Nova York, Bianca vai direto para onde será sua casa nos próximos meses, um apartamento no Bronx, que irá dividir com duas figuras: a adorável e espontânea Mônica, Brasileira nascida em São Paulo e aspirante a atriz e a Russa Natalya, promoter de uma das casas mais badaladas da noite nova-iorquina, o El Calabozo. Natalya é aquelas personagens que você ama odiar.

Já em seu primeiro dia de aula Bianca conhece Paul, um americano que passou a infância com o Pai, um importante produtor de cinema, no Brasil. De uma beleza clássica e devastadora, Bianca não consegue deixar de prestar atenção no moço, porque pense num moço bonito... eu vou ajudar:


Depois de muita insistência de suas "roomates", Bianca decidiu topar uma balada no El Calabozo. A Boate estava lotada e no meio de tantas pessoas, e tanta confusão, Bianca, na intenção de afastar-se da multidão, acabou em um terraço onde quatro rapazes, muito mal intencionados, a cercaram. Após bater a cabeça tentando se desvencilhar de um deles, Bianca ficou com os sentidos abalados, sentiu apenas que alguém deu uma surra em seus agressores, e a levou dali nos braços.

Ao acordar no hospital Bianca se lembra de poucas coisas, mas descobre através de Mônica que o seu salvador lhe deixou uma rosa branca.

Tentando não parecer abalar ou traumatizada frente as amigas, Bianca aceita o convite de Natalya para assistir a uma apresentação dos “The Masquerades”, um grupo musical no qual todos os seus cinco integrantes sobem ao palco mascarados.

O Vocalista chama imediatamente à atenção de Bianca, da qual ele não consegue tirar os olhos.


Meu bom leitor, dito isso, você pode esperar de TUDO, e quando eu digo TUDO, é TUDO mesmo: ROMANCE, Mascarados, ROMANCE, Mocinhos, Bandidos, ROMANCE, sequestro, mafiosos, ROMANCE, vingaça, russos, italianos e eu já disse ROMANCE????

Lu Piras é uma unanimidade na Blogosfera, todos a conhecem, admiram e adoram de seu trabalho, e mais uma vez ela não decepciona, e em “UM HERÓI PARA ELA” ela traz novamente sua marca registrada, um texto harmonioso, fluído e delicioso. Esse é um livro para quem gosta de um bom romance, com direito à megeras e príncipes nem tão encantados.

Ouvi alguns comentários que diziam que a história era “fantasiosa” demais, pois bem, este é exatamente o charme do livro. Não é uma história feita para ser contada em cada esquina, e sim é uma história que te leva a viajar rumo ao inimaginável, rumo aos “FINAIS “para sempre” FELIZES.

Não posso deixar de falar da MARAVILHOSA diagramação deste livro, todo começo de capítulo traz uma figura que nos remete ao mundo da sétima arte. A NOVO CONCEITO fez sem dúvida, um trabalho simplesmente lindo.

"UM HERÓI PARA ELA" é um romance delicioso, uma mistura de cinema, contos de fadas e heróis de arrancar E MUITOS suspiros.

Ah, só mais uma coizinha, quando o livro acabou uma pergunta não me saia da cabeça: Eu enlouqueci ou será que teremos “UM HERÓI PARA ELA 2”...
Postado por : Alessandra Regina 20 novembro 2014
A Máquina de Contar Histórias
Autor: Maurício Gomyde
Páginas: 191
Editora: Novo Conceito
Resenha por: Alessandra
 
“A MÁQUINA DE CONTAR HISTÓRIAS” é o quarto livro do escritor e compositor, MAURÍCIO GOMYDE, lançado pelo selo NOVAS PÁGINAS da nossa parceira, a editora NOVO CONCEITO. Os três primeiros livros de Maurício, "O Rosto Que Precede o Sonho”, “Ainda Não Te Disse Nada” e “O Mundo de Vidro”, todos independentes, são muitíssimos bem avaliados na Blogosfera Literária e têm a expressiva média de 4.5, entre os leitores do site Skoob, uma rede social para leitores. 

VINÍCIUS BECKER é um escritor famoso, o maior do País. Seus livros, aclamados “Best-sellers”, são sucesso e foram traduzidos para vários idiomas. Becker é aclamado pelo público e pela crítica que não se cansam de esperar ano após ano, livro após livro, outra grande e avassaladora história de personagens fortes e sentimentos intensos, descritos sempre em seus parágrafos perfeitos. Vinícius Becker é "A Máquina de Contar Histórias".

Na noite da festa de lançamento de seu décimo livro, Vinícius, - ao ficar sem bateria - não se dá conta das inúmeras ligações recebidas em seu celular. Em todos os recados perdidos a inevitável e dolorosa notícia que tanto temia, VIVIANA, sua esposa, chegou ao fim da sua luta contra o Câncer. O grande amor de sua vida havia morrido sozinha em um quarto de hospital.

Arrasado pela culpa, ele volta para casa e, pela primeira vez, em tempos, olha para os lados e percebe que a família "V", como chamam uns aos outros, está aos pedaços. VALENTINA, sua filha mais velha, de dezesseis anos, escudeira fiel da mãe em todo o doloroso processo da doença, está arrasada, acabou de perder a mãe e, na resolução de jamais perdoar o pai, perdeu também o seu grande herói. Valentina não quer dar nenhuma chance a Vinícius, nada a fará perdoar a ausência do pai sempre tão ocupado e envolvido com sua carreira e seus livros. A encantadora e apaixonante VIDA, de quatro anos, não sabe muito bem o que está acontecendo, mas precisa de todo amor possível neste momento.
“Para ele, uma boa ideia jamais deveria ser desperdiçada em poucas linha. Se a ideia é boa o suficiente para ser colocada no papel, ela deve iniciar uma história maior. Deve ser a semente de algo que caminhará de braços dados com o leitor por longo e prazeroso tempo.”
Com uma trama tecnicamente simples, transcorrida em pouco mais de 190 páginas, Maurício Gomyde vem certificar a máxima: menos é mais!

Uma narrativa clara e assertiva, personagens esmeradamente bem construídos e desenvolvidos, diálogos verossímeis e texto fluído e envolvente.

Para os aspirantes a escritores, #ficaAdica, leiam Maurício Gomyde.
“... No fundo, as pessoas não compram autores, não compram livros. Compram a emoção que a história promete proporcionar. O que cada leitor quer é, durante a imersão no mundo criado pelo escritor, esquecer dos problemas, angústias e tragédias do dia a dia.” 
“A MÁQUINA DE CONTAR HISTÓRIAS” é prova irrefutável que um bom livro não pede linhas e mais linhas com palavras que se atropelam - mas não orientam - ou diálogos mirabolantes em parágrafos desconexos, mas sim, um texto carregado com doses certeiras de emoção que nos conduza a sentar ao lado do personagem, rir o seu sorriso e chorar as suas lágrimas. 

Na trama, VINÍCIUS BECKER usou do artificio mais comum aos que precisam fugir da realidade, enterrou-se em um universo chamado rotina, aquele que quase sempre vem disfarçado na forma de “vida profissional”, esta roda viva que gira ferozmente e nos rouba o direito de realmente viver,  apenas observamos a vida passar.
“Eu queria escrever cada vez mais, criar mundos perfeitos em que nada de mal acontecesse, brincar de ser esse Deus que tudo resolve.”
Todo o processo construído por Vinícius para tentar reaver o amor de sua família traz reflexões e emociona. É um convite para nos questionar por que, por inúmeras vezes, deixamos o supérfluo e descartável nos envaidecer em detrimento dos que amamos, principalmente a nossa família.

Sim, é claro que fui as lá-gri-maaaas nas últimas páginas de “A MÁQUINA DE CONTAR HISTÓRIAS”. Viviana é um dos personagens mais cativantes e forte que já conheci. Uma mulher incrível e admirável que conduziu e eternizou laços de amor – ainda que estremecidos - que todos nutrem uns pelos outros. 

Mais uma vez a NOVO CONCEITO é IM-PE-CÁ-VEL na diagramação, amo a capa desse livro  (minha filha também) e a forma que os capítulos são iniciados, todos com desenhos de "rewind", "play", "pause" e "forward", que ilustra a maneira que "Tempo e espaço" serão retratados no livro.

Eu tietando o Maurício na Bienal de São Paulo

Óbvio que assim que eu terminei “A MÁQUINA DE CONTAR HISTÓRIAS”, eu imediatamente adquiri as outras obras de Maurício Gomyde, quero conhecer TUDOOOO que ele já escreveu, e também vou me candidatar a Beta Reader, quem sabe ele - o que eu dúvido - precise de uma! 
Postado por : Thainá Cristina 19 novembro 2014
Diante da falta de tempo, é comum a leitura ocorrer em lugares inusitados, como no ônibus, na cama e em ambientes escuros. Mas será que esses hábitos de leitura podem prejudicar a vista? Segundo o oftalmologista Wagner Ghirelli do Hospital Santa Catarina, na verdade, quanto mais lemos, melhor. “Quem lê muito tem uma capacidade visual melhor e lê mais rápido”, conta. “Com o uso do computador, há pessoas que se tornam muito ágeis e desenvolvem habilidade visual muito grande, já que associam habilidade visual com motora.” 

Desbanque os mitos a seguir e fique atento a alguns cuidados.


1. Ler no ônibus faz mal? 

Há quem acredite que esse hábito pode causar até mesmo descolamento de retina, mas não é verdade. “O problema na retina é relacionado a traumas e independe de hábitos relacionados à leitura”, explica o oftalmologista Omar Assae, do Hospital CEMA. Um baque muito grande, por exemplo, é o que pode causar o descolamento, que é mais comum em pessoas com alto grau de miopia ou com diabetes. O que a leitura no ônibus pode causar é incômodo e mal-estar, pois o balanço do veículo provoca uma confusão no sistema vestibular do cérebro, responsável pelo equilíbrio.


2. Leitura no escuro é prejudicial? 

Ler em locais com pouca luminosidade está longe de piorar doenças como miopia, hipermetropia, astigmatismo etc., tampouco “forçar a vista”. O que pode acontecer, segundo Osmar Assae, é a fadiga, ou seja, sensação de cansaço dos olhos, já que é preciso força-los mais para enxergar. “O que se recomenda é apenas não permanecer muito tempo com o foco de visão em um mesmo objeto próximo, já que isso causa dor de cabeça e sensação de baixa visão”, aconselha o oftalmologista. “O ideal é fazer pequenas pausas durante a leitura.”


3. Tablets deixam a vista cansada? 

Ler em tablets (como iPad) também não pode ser considerado um mau hábito, pelo contrário: o oftalmologista Osmar Assae vê esses gadgets como aliados da boa leitura, já que a função “zoom” permite aumentar as letras, o que confere melhor visualização, além da possibilidade de ajustar a iluminação ao seu conforto. É importante lembrar, apenas, de fazer pequenas pausas, já que o esforço repetitivo para visualizar imagens em curta e média distância causa o ressecamento da vista. Uma pessoa pisca os olhos, em média, 20 vezes por minuto, enquanto em frente ao eletrônico pisca apenas de seis a sete vezes.


4. Leitura na praia é permitida? 

A luz da praia exige mais cuidados. Essa luminosidade excessiva, segundo o oftalmologista Wagner Ghirelli, pode gerar degenerações na retina, . Por isso, a leitura exige óculos escuros ou, pelo menos, um boné para proteger os olhos da luz intensa.


5. Crianças precisam de cuidados ao ler?

Para os pequenos, ficar muito próximo ao livro (ou da televisão, computador etc.) pode levar ao desenvolvimento de miopia, que se acentua conforme o hábito perdura. “Isso faz com que o olho tenha um crescimento maior do que deveria ter pelo fato dela ler muito de perto”, esclarece Wagner Ghirelli. Mas esse risco só vale para crianças. Em adultos, ler com o livro muito perto pode causar, no máximo, desconforto. Mais do que se preocupar com boatos, é preciso prestar atenção em pequenas atitudes que, com certeza, garantirão maior conforto durante a leitura: 

- Independente de ser livro, tablet etc., o objeto deve ficar a, aproximadamente, 40 cm de distância dos olhos, com luminosidade adequada (determinada pela sensação de conforto ao ler);- O objeto de leitura deve ficar sempre abaixo dos olhos, nada de deitar na cama e colocar o livro acima deles;

– A iluminação é importante aliada de leitura e não pode incomodar a visão, seja pela falta ou pelo excesso. Embora o conforto seja relativo, Osmar Assae recomenda uma lâmpada de 60w, que deve fornecer iluminação suficiente.

Arquivado em: ,
8 Comentários
Postado por : Alessandra Regina 13 novembro 2014
Título: Enquanto A Chuva Caía
Autor: Christine M.
Páginas: 288
Editora: Novo Conceito
Resenha por: Alessandra
Li certa vez que se um livro não te enlaça nas primeiras quarenta páginas, dificilmente o fará depois disso. 

Claro, sempre há controvérsias em afirmações como esta. Mas esqueçam as primeiras quarenta páginas, eu precisei apenas do primeiro parágrafo:
“A única coisa que não consigo controlar em situações de crise é o batimento cardíaco. Eu faço o que tenho que fazer: interrogo, bato, invado esconderijos e até mato. Tudo bem para mim. Só que faço tudo isso com o coração latejando na minha carótida. Fico calmo, dou até risinhos, mas a veia atravessada no meu pescoço parece querer saltar pele afora, e isso me enerva.”
 PAREM AS MÁQUINASSSS!!! 

Já encontramos um dos melhores livros do ano!

“ENQUANTO A CHUVA CAÍA” é o quarto livro da escritora Paulista CHRISTINE M., e é mais um dos grandes lançamentos do selo NOVAS PÁGINAS da EDITORA NOVO CONCEITO, deste ano.

“Em alguns dias avanço; em outros, retrocedo. Mas ainda não desisti de continuar tentando.” 
Porto Alegre, Brasil. ERIK GOUVEIA é advogado e trabalha para a polícia, mas está longe de ser um policial. É Erik quem limpa a sujeira que a justiça não pode - ou não quer - apagar. É ele quem está sempre um passo à frente da investigação. O que vai aonde os olhos da lei não conseguem ir. Quando os dois lados de um crime se apresentam, cada um tem a sua versão, mas Erik tem a verdade. Ele encontra, resolve e extermina, é isso que impulsiona as batidas do seu coração, já que todas as suas emoções foram escoadas para bem longe de seu peito quando sua namorada, filha de um importante juiz, foi raptada e jamais foi encontrada. Todos têm um grande amor na vida e Erik já perdeu o seu. 

Mas Erik cometeu um pequeno deslize, um deslize que quase lhe custou a vida. Um tiro o mandou, após longa internação, para uma temporada de descanso forçado na casa de sua única irmã, Cecília, mais velha e extremamente protetora. O que Erik ainda não sabe é que ele está muito encrencado. Bem quando acreditava que iria voltar para sua antiga vida novos acontecimentos determinam que ele  precisará se esconder, sumir por uns tempos. O local escolhido como esconderijo é a Holmes & Lewis, uma renomada empresa de auditoria em Nova York, onde Erik irá trabalhar como advogado até que as coisas no Brasil se acalmem. 

Nova York, Estados Unidos. MARINA MULLER vai assumir a presidência de uma das maiores e mais bem conceituadas empresas de auditoria do mundo, a Holmes & Lewis. O império construído por seus pais terá que passar para as mão de sua única herdeira, pois seu pai, o admirado Josef Holmes, foi repentinamente consumido pelo Alzheimer. 

Marina cresceu nos corredores desta empresa, conhece tudo sobre ela e sabe que está pronta - ainda que prematuramente - para comandá-la. Aliás, prematuridade parece ser o carma de Marina. Ela casou-se aos vinte anos com o grande amor da sua vida, Adam, um médico de carreira promissora que decidiu se alistar para lutar no Iraque. Adam é morto em combate, deixando Marina sem chão e viúva. Agora, aos vinte e seis anos, Marina sente profundamente a falta do pai e a ausência de Adam. A empresa é sua segunda casa, quando não está na Holmes & Lewis, sendo uma CEO exemplar, está sentada em baixo de uma linda árvore no cemitério de Green-Wood, onde jogou as cinzas de Adam e onde costuma passar todos os seus fins de tarde. 
“Ele fica perto o suficiente para me socorrer e longe o bastante para me fazer acreditar que minhas imensas é ridículas quedas são apenas escorregões corriqueiros. Acho que essa é a melhor definição de amigo que eu consigo imaginar.”
Depois de tanto tempo lendo e analisando livros é natural acabar se familiarizando com as etapas do desenvolvimento de uma história: situação, quebra da situação, conflito, clímax e desfecho, é isso! Às vezes não necessariamente nestes termos, ou nesta ordem, mas em suma, é isso. 

A magia de “ENQUANTO A CHUVA CAÍA” fica na experiência de passar por cada uma dessas etapas sem perceber; ou melhor, tão submerso a trama que não seja possível facilmente apontar quanto da emoção que emerge da história é do personagem ou, inevitavelmente, sua. Me senti  envolvida, extasiada e emocionada em cada uma de suas quase 300 páginas, e lhes digo: QUE LIVRO FANTÁSTICO!

Eu li “ENQUANTO A CHUVA CAÍA” em algumas horas, e não foi nem uma, nem duas vezes, que eu parei, arregalei os olhos e pensei: Estamos, oficialmente, produzindo histórias em padrões excepcionais. Agora é só traduzir e exportar para o mundo.


Em “ENQUANTO A CHUVA CAÍA” tudo funcionou com extrema perfeição: uma narrativa pontual, enxuta, assertiva e envolvente, isso tudo somado a personagens arrebatadores em um texto fluído e delicioso. CHRISTINE M. é uma escritora claramente diferenciada pela intensidade de seu texto, e sua alta qualidade técnica salta aos olhos. É um livro indiscutivelmente bem escrito.
“Você é encrenca, eu sempre soube. Mas você é a minha encrenca...”
Gostaria de fazer uma observação pontual aos diálogos. Caros, não é das tarefas mais simples - e fáceis – manter dois personagens interagindo e dialogando de maneira tão passional e eloquente - e por tantas páginas - sem que, em nenhum momento, a trama perca seu rumo e seu ritmo.

Sabe aquele livro que você lê se mexendo? Aqueles que você senta, ri, levanta, suspira, deita, NÃO CONSEGUE ficar quieta, pois bem, assim é a leitura de “ENQUANTO A CHUVA CAÍA”.

E quando eu percebi que as páginas estavam acabando??? 


A capa deste livro dispensa comentários, é simplesmente MA-RA-VI-LHO-SA. A diagramação é mais um trabalho primoroso da NOVO CONCEITO. Cada começo de capítulo traz a estrofe de uma música, todas muito lindas!!!! Ouvi várias delas durante a leitura. 
Obviamente foi a minha indicação no "DIA DO LEITOR" da Novo Conceito 
Gente, é isso! Aqui falou uma fã de Literatura Nacional extasiada, animada e feliz! SIM, já estou correndo atrás dos outros livros da Chris M., e estou perseguindo-a em todas as redes sociais.

Também estou pensando em aplicar para ser "beta- reader" da lista de material escolar 2015 que ela possa vir a elaborar para os seus filhos!

E para terminar, um dos melhores quotes que já li nesta minha prazerosa e interrupta peregrinação literária:
“Talvez o instinto seja apenas a nossa lógica pegando um atalho para se livrar da burocracia da razão.”
Postado por : Moniiqueta 12 novembro 2014


Eiii People !!! Estamos com mais um "TOP 4 Amigas" no ar. E esse acredito eu, será polêmico.

Como todos os outros TOP, esse surgiu das minhas conversas e leituras nas redes sociais... Estava vendo uns comentários sobre alguns personagens de séries de TV que SIMPLESMENTE não conquistaram a galera por ser TÃO chatos e decidi fazer um "TOP 4 Amigas" para falar justamente dos personagens mais chatos das séries de TV que EU ASSISTO/ASSISTIA.

Sabe aquele personagem tedioso ? Que quando aparece na telinha, temos vontade de mudar de canal, desligar, colocar no mudo ou simplesmente dormir ?


Pois elas estão aqui!!!

 Vamos conferir as seis personagens mais chatas das séries de TV, na minha opinião.
Postado por : Vitoria Trajano 10 novembro 2014

Oi geenntee! <3
Trago para vocês hoje o 4º post da coluna Meu Namorado Literário! E em homenagem a esse post especial vou falar de um personagem que caiu de quatro por uma linda mulher. rsrs 

Vou dar umas dicas de quem é:

Ele se acha o tal...
Quando ficou na fossa por uma mulher pensou e disse que era gripe...
Narra a sua própria história...
Além de ser lindo, alto, forte... enfim, super TDB.

E aí? Descobriram? Se não, vou desvendar esse mistério. Se prepara! O namorado literário de hoje seráááá: DREW EVANS! #OoohPá #EuViUmaLeitoraDesmaiando




~ Nas minhas buscas pelo cara que se parecesse com o Drew, achei o modelo Bernardo Velasco bem parecido... E vocês? O que acharam?~
Postado por : Thainá Cristina 07 novembro 2014


Hoje vim trazer para vocês o Top Comentarista de NOVEMBRO e colocar no ar o resultado do Top Comentarista do mês passado. Peço desculpas por só postar hoje o resultado, mas a verdade é que o o pouco tempo online que estou tendo estão sendo gastos no novo layout do blog, que ao meu ver está ficando lindo, mas está dando um puta trabalho! x_x 

Caso queira participar do Top Comentarista desse mês basta seguir as regras que estão no final desse post e comentar nas postagens válidas entre o dia 01 ao dia 30 de novembro. Aquele que mais comentar poderá estar levando para casa 2 super livros cedidos pela Editora Planeta! E aí, vai ficar de fora?! 


PRÊMIOS

2 livros para 1 vencedor!


 


Sobre o Top Comentarista...



^

- Copyright © 2013 Quatro Amigas e um Livro Viajante - Hospedado pelo Blogger -